sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Que faço?

Me fizeram uma pergunta complicada alguns dias atrás.
O que dizer se a tentativa é de manter um silêncio angustiante? O que dizer se não tenho resposta?

O que dizer? O que responder?
Procuramos tanto uma reposta e não achamos.

Fico imaginando...

Como seria?! O que aconteceria se eu tivesse essa reposta?!
Nada do que eu diga será suficiente...
Então
...

Aliás, como vou responder se também estou procurando essa resposta?!

Eh!! Vida... Experiências. Dúvidas. Expectativas. Saudades. Esperanças. Certezas!

É! É isso.

Não tenho resposta. Mas como disse Mário Quintana:

"A resposta certa, não importa nada: o essencial é que as perguntas estejam certas."

3 comentários:

JJ disse...

Talvez dizendo, mais uma vez, quais são suas certezas, ajude.

Talvez o sentimento de angustia pelo silêncio signifique algo...

Talvez você já tenha dado a resposta.Talvez algo em você não tenha deixado a pessoa da pergunta completamente crente em tal resposta...

Talvez a pessoa que perguntou seja apenas uma louca que deveria calar-se para sempre e nunca mais perguntar nada...

Talvez...

Talvez o que você deve fazer é o que o autor da pergunta não consegue.

Todos os dias acordo e me pergunto: que faço?

Todos os dias durmo lembrando-me de tudo, pequeno e pouco que aconteceu.

Bom texto o seu. Gosto de ler você.

Tata disse...

Para quem não entendia o "talvez"... Ele agora faz muito sentido!!
;)

JJ disse...

Sentido? Talvez não faz sentido nenhum... :-)

Não fez e nem fará!

Sentido faria ter as respostas, mas parece que nem mesmo as perguntas certas são feitas.

Enquanto isso o tempo passa e a angustia aumenta.