quinta-feira, 2 de julho de 2009

Talvez

"Como podemos nos entender (...).
Se nas palavras que digo coloco o sentido e o valor das coisas como se encontram dentro de mim; enquanto quem as escuta inevitavelmente as assume com o sentido e o valor que têm para si, do mundo que tem dentro de si?" - Luigi Pirandello

Eita! Luigi, que até então não o conhecia.

Fuçando na internet achei esse texto acima que, "coincidentemente", (não acredito em coincidências) tem tudo haver com esse exato momento que vivo.

Ai...ai...
É tão bom conversar.
Adoro conversar.

Na verdade acho que converso até demais. Agora pensa: uma pessoa assim, curiosa e conversadeira, encontrar um "boca de trapo" pelo caminho.

Aja linhas e mais linhas de longas e prazerosas conversas. As vezes, confesso, conversas meio confusas. Cheias de altos e baixos. Muitas vezes polêmicas. Porém, sempre cheias de aprendizado e respeito.

Mas e quando as palavras já não dizem mais nada? O que fazer?
E quando palavras já não expressam o que queremos dizer?
E quando nossos sentimentos já não cabem mais em palavras...

E ai?!?

Um gesto...
Um olhar...

Talvez!!

Tentativas de mais palavras...
Lágrimas...
Sorrisos...
Gargalhadas...

Talvez!!

Ou seria simplesmente o vazio e a infinidade de sentidos do SILÊNCIO...

Seria melhor, então, calar. Sufocar dentro de si o que quer explodir. Mas não encontrar palavras. Ou apenas fitar os olhos de forma fixa e profunda no seu objetivo e deixar-se entender. Mesmo correndo, assim, o risco de não ser compreendido.

Mas se até mesmo com palavras isso acontece, não somos bem compreendidos...

Então... Talvez!!

Há quem não goste de "talvez". Mas essa situação está cheia deles.

Um comentário:

JJ disse...

Talvez? Talvez a ilusão não seja ilusão... :-)