terça-feira, 8 de setembro de 2009

E onde eu estava?

Percebo hoje que enquanto eu procurava (e não a encontrava) aprendia coisas que me preparavam para esse momento: o de encontrá-la.

Aprendia o que é ciúmes e como controlá-lo. Respeitar para ser respeitado. E que ninguém deve levantar a mão num gesto de violência a ninguém.

Aprendia que frases como "dessa água não beberei" só servem para nos mostrar que as coisas mudam e que muitas vezes precisamos voltar a trás em muitas decisões.

Aprendia que o que faz um homem ser Homem não é a quantidade de mulheres que ele leva para cama, mas a intensidade que ele consegue amar uma única mulher.

Aprendia que não basta estar junto de uma pessoa para que ela sinta sua presença. Que participar de uma vida exige dedicação, atenção, paciência, carinho, cumplicidade, sinceridade, ...

Aprendia que não adianta forçar um amor, pois ele quando surge, não força, não adia, não adianta, não promete... Quando ele chega não há comparação disso ou daquilo. Ele chega e pronto!

Aprendia que amor não é uma prisão, uma troca ou algo assim. Aprendia que na hora certa as coisas simplesmente são, sem que aja uma cobrança para que elas sejam. E que um carinho no rosto pode dizer mais do que mil palavras.

Aprendia, com Drummond, que "se os olhares se cruzarem e, neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu". E que "quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida." E, ainda, que "se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem
d'água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês".

Aprendia, com Shakespeare, que há uma sutil diferença, entre dar a mão e acorrentar uma alma. E aprendi "que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança". E aprendi "que beijos não são contratos e presentes não são promessas". "Que se levam anos para se construir confiança e apenas segundos para destruí-la", e que posso fazer coisas em um instante das quais me arrependerei pelo resto da vida." Aprendia, ainda com Shakespeare, "que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida". E aprendia também "que maturidade tem mais a ver com os tipos de experiência que se teve e o que você aprendeu com elas do que com quantos aniversários você celebrou".

E aprendi que, mesmo já estando quase desistindo da procura, não tinha achado ainda por não ser a hora. Aprendi que sempre soube o que queria, mas era preciso aprender tudo isso e muito mais, antes de poder encontrá-la.

Valeu cada aprendizado... Assim como vale cada segundinho ao lado dela desde então.

4 comentários:

Tata disse...

;)

Pra tudo existe um tempo certo...lembra?!?!

Feliz.Muito feliz!!
:D

JJ disse...

Lembro sim e você sabe que tem muito de você em todo esse meu aprendizado.

Também estou feliz! Muito feliz!

:-)

Josiani disse...

"felicidade é pouco p expressar o estou sentindo, e isso é uma prova q nada acontece por acaso, e lembre- se q td acontece na hora certa, no momento certo, e com a pessoa certa. Quero me dedicar a vc em cada momento.

bjo

JJ disse...

Oi linda. Nos dediquemos a ser felizes e a fazer outras pessoas felizes. Nos dediquemos de mãos dadas. Com carinho mutuo.

Carinhos na sobrancelha. Beijos.