quinta-feira, 10 de julho de 2008

Escolhendo o filme certo

Foi um daqueles dias quentes. Quando tudo parece ser problemático e cansativo. Estava precisando relaxar, esquecer as mazelas estressantes de um dia de trabalho frustrante . Foi então que o celular tocou. Apareceu escrito Lilian no visor. Conheci Lilian a muitos anos atrás. Não me lembro onde. Na lembrança mais antiga que tenho dela estávamos em uma boate. Eu devia ter quase trinta e ela no máximo uns dezoito anos. Ela com um dos caras mais idiotas da nossa turma e eu com a mãe das minhas filhas.

Algum tempo depois, que me separei, encontrei Lilian na rodoviária de Inhumas. Ela iria pegar o mesmo ônibus que eu, com destino a Goiânia. Antes desse dia não tinha prestado atenção nela. Talvez pelo excesso de "tipo assim" que ela usava em tudo que ia falar. De cada 10 frases, onze tinham "tipo assim". Mas nesse dia percebi que ela estava mais comunicativa. Se expressava muito bem. Seus longos cabelos de cor escura brilhavam muito. Seus lábios com batom vermelho, de tom discreto, combinava com seus olhos castanhos escuros. A menina bobinha do interior agora era uma mulher muito bonita e inteligente. Conversamos muito nesse dia.

A partir daí passamos a nos encontrar, virtualmente, algumas noites. Nos falamos por telefone, mas nunca dava certo de nossos horários coincidirem para nos encontrarmos pessoalmente, até aquele dia quente e cansativo em que ela me ligou. Atendi e ela: - "Adivinha quem está de férias?". Nós dois estávamos estressados e então combinamos de ver um filme naquele dia mesmo, pois ela estava indo para Brasília e queria me ver antes de ir.

No horário combinado nos encontramos e fomos logo escolher o filme, pois ela estava com pouco tempo, por causa da viagem para Brasília. Os horários não nos favorecia, já que a maioria dos filmes começou meia hora antes de chegarmos. Sobraram duas opções:

- O Aviador, uma aventura tendo no elenco Leonardo Di Caprio e;
- Jogos Mortais, terror, o primeiro deles.

O que ela queria ver era o Aviador, mas ele tem quase três horas de duração e não daria. Deveríamos ter esquecido o cinema e ter ido comer e beber na praça de alimentação, mas não. Dei a idéia de assistirmos Jogos Mortais. Entramos. Nos acomodamos. Conversamos um pouco antes do filme começar. Trocamos alguns carinhos inocentes. As luzes se apagaram e o filme começou. Alguns minutos depois, de filme, comecei a achar que tudo que eu havia vivido naquele dia não tinha sido nada, comparado a tanto terror e tensão que Jogos Mortais conseguiu nos passar.

Quando saímos do cinema, Lilian saiu correndo e foi embora. Nunca mais a vi. Nos falamos algum tempo depois. Mas ela nunca mais foi a mesma. Nunca conseguiu esquecer aquele dia que fomos ao cinema para relaxar e se divertir e ficamos mais tensos ainda.

Saber escolher um bom filme, principalmente no primeiro encontro é muito importante. A maioria dos meus amigos escolhem filmes que agradam a eles, como se o fato de agradá-los, por si só, já fosse regra para agradar a pessoa com a qual se está indo ao cinema.

Pouco tempo atrás Donna, aquela minha amiga do texto anterior a esse, me ligou convidando para ir ao cinema. As opções não estavam boas. Havia uma comédia romântica, que eu já havia assistido, e alguns outros filmes entre terror, ação, comédia... Não tive dúvida: sugeri que fossemos assistir a comédia romântica que eu já assistira. Fiz essa escolha por três motivos: primeiro por me lembrar da trágica experiência com Lilian. Segundo por saber que Donna gostaria de assisti-lo e, por último, por ter certeza que iria rir bastante novamente. Acertei em cheio! Donna adorou e nos divertimos muito naquele dia.

Saber escolher o filme certo, para cada momento, é algo que tenho praticado ultimamente, pois um bom filme pode fazer a diferença entre a noite terminar bem ou mal. A grande dica para meus amigos é: dê preferência para as comédias românticas se for a primeira vez que você está indo com sua companhia ao cinema e ainda não conhece os gostos dela por filmes.

Segue algumas sugestões que homens deveriam assistir para entender um pouco melhor a cabeça da maioria das mulheres e as mulheres para continuarem a ter esperanças para com nós:

Alguém Como Você - (Someone Like You...)
USA 2001 de Tony Goldwyn


Hitch - Conselheiro Amoroso - (Hitch)
USA 2005 de Andy Tennant


Proposta Indecente - (Indecent Proposal)
USA 1993 de Adrian Lyne


E para entendermos sobre o que realmente tem valor na vida, duas dicas:

A Grande Sedução - (Grande Séduction, La)
CA 2003 de Jean-François Pouliot


Albergue Espanhol - (Auberge Espagnole, L')
FR 2002 de Cédric Klapisch


E o vídeo de hoje é com Carla Bruni:


Letra
Tradução

3 comentários:

nah disse...

la belle verte, frança, 1996
turtles can fly, iraq, 2005

pedro almodóvar;
fellini;
bertolucci;
Krzysztof Kieslowski (sim, isso é o nome de um diretor, -> trilogia com juliete binoche! :D)
uhmmmmmm...

tem uns de ação legal também: trilogia old boy

vá, uns filminhos meio "cults" e "ativistas" também são bons, né?

da-lê!

com certeza não sou um tipo feminino meio "normal"..

JJ disse...

Valeu pelas dicas... Consegui encontrar o Volver (2006) de Almodávar. Sei que encontrarei os outros. ;-)

Ah!!... Adoro seu tipo feminino "anormal". Besos!

nah disse...

o filme mais emocionante da minha vida foi o "turtles can fly", iraq, 2005. mas vou avisando, pra assisti-lo deve-se estar preparado para chorar, leve um balde.. e uma semana de silêncio consigo mesmo...


é um filme pesado, triste, mas MUITO LINDO.

eu assisti com um amigo no cine cultura, aí em goiânia... dá pra baixar por torrent. :)

:* adoraria ir ao cinema com você!

ahh!
sexta vou assistir batman, o cavaleiro das trevas, lançmaneto! :D